Dar o Nobel para Dylan é como dar o Grammy para Carl Magnus Palm


Por Kamila Ferreira

No último dia 13 de outubro, o cantor e compositor Bob Dylan foi agraciado com o Prêmio Nobel de Literatura. A Academia Sueca, ao dar o prêmio ao norte-americano, afirma que ele venceu “por ter criado novas expressões poéticas dentro da grande tradição da canção americana”. Sua obra dispensa qualquer comentário, ele é fora de série no que faz, mas será mesmo que foi merecido?

Sabe-se que o Nobel de Literatura, ao longo de sua história, deixou de fora grandes nomes. Podemos citar como “injustiçados” Jorge Luis Borges, Virginia Woolf, Liev Tolstoi e Jorge Amado. Mas, o que Dylan fez para merecer que esses quatro citados (e tantos outros) não?

Sim, literatura é trabalhar com as palavras. Seja em verso ou prosa. Dylan escreveu um único romance (Tarântula, 1971) e um livro de crônicas, o que é muito pouco para alguém que recebeu um prêmio dessa magnitude. E é pouco também para quem se diz escritor.

De certa forma, ao premiar Dylan, vários outros autores acabam desestimulados, porque a motivação da premiação deixa de fazer sentido. Aliás, a própria afirmação da Academia não faz tanto sentido assim. O que é exatamente a “canção americana”? Se o conceito de “canção americana” é estranho para mim, que sou leiga, o que dirão os escritores que protestaram contra?

E antes que alguém diga que ganhar prêmios é consequência pela obra bem escrita (ou por qualquer trabalho bem feito), saiba que sim, no fundo gostamos de ter nosso ego massageado com qualquer reconhecimento acerca do que fazemos e, ao ver uma pessoa de fora da área ganhando o que outros deveriam ganhar, sim, é frustrante.

Portanto, a César o que é de César. Dar o Nobel para Bob Dylan é como dar o Grammy para Carl Magnus Palm, que nunca cantou nada na vida, entretanto é o biógrafo oficial do ABBA. Mas tudo bem, bola pra frente, ano que vem tem nova edição e, vai que eles acertam?

PS: espero nunca ver um youtuber ganhando Nobel. Ou melhor, espero que nenhum youtuber ganhe reconhecimentos literários, que fiquem só na internet mesmo, porque, se vê-los na lista dos mais vendidos já é triste, imagine então vê-los ganhando prêmios por terem reproduzido no papel o que já fazem nos seus vídeos?

**A opinião expressa neste artigo é única e exclusiva de sua autora, não representando a opinião da Nova Millennium.**

Previous Livros infantis vs Tecnologia
Next Agências Literárias: um novo modelo de gerenciamento de carreiras de novos autores

Suggested Posts

  A Companhia das Letras anunciou hoje, 18, a pré-venda de “O Homem que Buscava Sua Sombra”, quinto livro da série Millennium. Continuada por David Lagercrantz, a série, criada por Stieg Larsson, morto em 2004, mostra o “lado B” da Suécia, um país não tão perfeito assim. O lançamento está previsto para o dia 19 …

0 198

O nipo-britânico Kazuo Ishiguro, de 62 anos, foi escolhido hoje o Nobel de Literatura 2017, em premiação que aconteceu em Estocolmo, Suécia. O autor de “Não me Abandone Jamais” e “Os Vestígios do Dia”, ambos já adaptados para o cinema, nasceu em Nagasaki, mas desde os cinco anos mora na Inglaterra. O comitê do Nobel afirma …

0 44

A antiga Suma de Letras agora é apenas Suma A Suma de Letras foi criada em 2005 e tornou-se parte do Grupo Companhia das Letras em 2015. O selo foca suas obras em gêneros como fantasia, ficção científica e terror. Sempre voltada ao público geek, a mudança do logo e do nome foi uma forma …

0 53

Criada em 2014, a Miolo(s) é um evento de arte gráfica organizada pela Editora Lote 42 e a Biblioteca Mário de Andrade. O evento tem como proposta estimular a produção de editoras alternativas, artistas e coletivos contemporâneos. Esse ano, a Miolo(s) contará com um novo espaço dedicado para crianças. A Miolinho(s) será mobiliada, decorada e …

0 41

A Editora Rocco dedicou um espaço super especial aos fãs do bruxo Harry Potter na 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo Por: Angela Rocha No ano em que o fenômeno Harry Potter ganha sua oitava história — Harry Potter and the cursed Child (Harry Potter e a Criança Amaldiçoada em português), que vai …

0 69

O objetivo principal da associação é fortalecer a literatura desses gêneros no país e divulgar autores e obras A recém-criada Associação Brasileira de Escritores de Romance Policial, Suspense e Terror, a ABERST, já possui uma pré-estrutura, como os documentos, o Estatuto Social, presidente eleita e etc., porém, precisa de dinheiro para registrar a marca e …

0 89

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *