Dar o Nobel para Dylan é como dar o Grammy para Carl Magnus Palm


Por Kamila Ferreira

No último dia 13 de outubro, o cantor e compositor Bob Dylan foi agraciado com o Prêmio Nobel de Literatura. A Academia Sueca, ao dar o prêmio ao norte-americano, afirma que ele venceu “por ter criado novas expressões poéticas dentro da grande tradição da canção americana”. Sua obra dispensa qualquer comentário, ele é fora de série no que faz, mas será mesmo que foi merecido?

Sabe-se que o Nobel de Literatura, ao longo de sua história, deixou de fora grandes nomes. Podemos citar como “injustiçados” Jorge Luis Borges, Virginia Woolf, Liev Tolstoi e Jorge Amado. Mas, o que Dylan fez para merecer que esses quatro citados (e tantos outros) não?

Sim, literatura é trabalhar com as palavras. Seja em verso ou prosa. Dylan escreveu um único romance (Tarântula, 1971) e um livro de crônicas, o que é muito pouco para alguém que recebeu um prêmio dessa magnitude. E é pouco também para quem se diz escritor.

De certa forma, ao premiar Dylan, vários outros autores acabam desestimulados, porque a motivação da premiação deixa de fazer sentido. Aliás, a própria afirmação da Academia não faz tanto sentido assim. O que é exatamente a “canção americana”? Se o conceito de “canção americana” é estranho para mim, que sou leiga, o que dirão os escritores que protestaram contra?

E antes que alguém diga que ganhar prêmios é consequência pela obra bem escrita (ou por qualquer trabalho bem feito), saiba que sim, no fundo gostamos de ter nosso ego massageado com qualquer reconhecimento acerca do que fazemos e, ao ver uma pessoa de fora da área ganhando o que outros deveriam ganhar, sim, é frustrante.

Portanto, a César o que é de César. Dar o Nobel para Bob Dylan é como dar o Grammy para Carl Magnus Palm, que nunca cantou nada na vida, entretanto é o biógrafo oficial do ABBA. Mas tudo bem, bola pra frente, ano que vem tem nova edição e, vai que eles acertam?

PS: espero nunca ver um youtuber ganhando Nobel. Ou melhor, espero que nenhum youtuber ganhe reconhecimentos literários, que fiquem só na internet mesmo, porque, se vê-los na lista dos mais vendidos já é triste, imagine então vê-los ganhando prêmios por terem reproduzido no papel o que já fazem nos seus vídeos?

**A opinião expressa neste artigo é única e exclusiva de sua autora, não representando a opinião da Nova Millennium.**

Previous Livros infantis vs Tecnologia
Next Agências Literárias: um novo modelo de gerenciamento de carreiras de novos autores

Suggested Posts

Através dos livros é possível viajar no tempo, basta apenas encontrar um local de tranquilidade e deslocar-se sem fazer força. Por Ana Paula Miranda            Distopias, terror, comédias, sobrenatural, romances… A quantidade de gêneros é infinita para agradar todos os tipos de leitor. Com um livro é possível conhecer outros lugares …

0 39

O destaque da rede está no e-commerce, que cresceu consideravelmente, ao contrário das vendas em lojas físicas A Saraiva anunciou, nesta segunda (14), os resultados do primeiro semestre deste ano. Até o momento, a receita bruta da empresa caiu pouco, apenas 0,2%, fechando o semestre em R$ 945,5 milhões contra R$ 947,3 milhões no mesmo …

0 43

Criada em 2014, a Miolo(s) é um evento de arte gráfica organizada pela Editora Lote 42 e a Biblioteca Mário de Andrade. O evento tem como proposta estimular a produção de editoras alternativas, artistas e coletivos contemporâneos. Esse ano, a Miolo(s) contará com um novo espaço dedicado para crianças. A Miolinho(s) será mobiliada, decorada e …

0 41

Com curadoria de Joselia Aguiar, o evento abordará questões sobre identidade de gênero Por: Ana Paula Lima   A 15ª edição da Flip que começa nesta quarta-feira, 26, e termina no domingo, 30 de julho, homenageará o escritor carioca Afonso Henriques de Lima Barreto. Inconformado com as desigualdades sociais e raciais de nosso país durante …

0 42

O Projeto de Lei de autoria da senadora Fátima Bezerra (PT-RN) poderá não passar pelo Plenário antes de ser sancionado A PL 7752/2017, que quer instituir a Política Nacional de Leitura e Escrita, terá relatoria do deputado Waldenor Pereira (PT-BA). Ele será o relator na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados e terá cinco …

0 49

Organizada pela Associação Nacional de Livrarias, a convenção acontecerá nos dias 29 e 30 de agosto. Com o objetivo de promover trocas de experiências, a Associação Nacional de Livrarias (ANL) realizará nos dias 29 e 30 de agosto a 27ª Convenção Nacional de Livrarias. O tema deste ano será “O livreiro: de leitor a gestor” …

0 53

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *